#87 Tomás Loureiro – O renascimento para o futebol

Tem 22 anos, é defesa central e está no Pinhalnovense para dar mais um passo rumo ao seu grande objetivo de carreira: “ser profissional de futebol”. Falamos de Tomás Loureiro, futebolista que esteve um ano parado, regressou em 2019 e esta temporada é um dos jogadores com mais minutos da equipa que lidera a série F.

Há teorias que defendem que quando se nasce, o destino da vida já está traçado e no caso de Tomás, essa pode muito bem ser a realidade dada a sua ligação com o futebol. Aos seis anos de idade, chega a casa e diz aos seus pais que quer deixar a natação, em prol do futebol. Uma paixão que estava no seu interior e foi completada por um pai que também era apaixonado pelo desporto rei.

Cinco anos no Benfica

A aventura começa aos oito anos. Começa a jogar “nas escolinhas do Benfica” junto ao Estádio da Luz, mas é no CAC Pontinha que tem a sua primeira experiência enquanto federado.

Um ano depois, regressa ao clube da Luz para fazer mais dois anos de formação, o último dos quais já no Seixal, onde partilha balneário com jogadores que agora vingam no futebol profissional como João Virgínia, Florentino, Jota, Nuno Santos, entre outros.

“Nos iniciados ia todos os dias de Mafra para o Seixal treinar. Foi um ano importante, porque me ensinou praticamente tudo a nível táctico. Um jogador quando faz a transição do futebol de 7 para futebol de 11 tem de saber posicionar-se, ler o jogo, saber jogar.. algo que aprendi no Benfica”, começa por dizer a 100 Oportunidades.

Tomás junto de Pedro Emanuel num dos treinos com a equipa principal do Estoril

A experiência de cinco anos a vestir a camisola vermelha e branca chega ao fim em 2013, altura em que regressa ao CAC Pontinha, mas é no Estoril, onde passa três anos, que tem o seu primeiro contacto com o mundo dos seniores.

Na época de 2016/17, a primeira de juniores, faz seis partidas no distrital de Lisboa pela equipa B dos canarinhos e na segunda metade da época treinou com a equipa principal, orientada, na altura, por Pedro Emanuel. Um momento marcante e que lhe deu confiança para no ano seguinte arriscar.

O MOMENTO

Ano de juniores no Boavista


Após uma formação passada na sua zona de conforto e em clubes próximos do local onde cresceu, Tomás decide arriscar no último ano de juniores e viaja para o Norte.

“O momento mais marcante para mim é quando vou para o Boavista. É uma temporada que me faz crescer muito. Não tinha ninguém próximo para ajudar, saí da minha zona de conforto, mas consegui fazer as minhas coisas. Um momento chave da minha carreira, porque marca a diferença do meu crescimento pessoal”.

Nessa temporada, Tomás faz 32 partidas e marca um golo pelos axadrezados.

O REGRESSO AO ATIVO

A boa temporada no Bessa, fazia antecipar um futuro risonho para Tomás na sua primeira época enquanto sénior, mas a sua caminhada tinha uma pausa destinada pelo meio. Por “problemas extrafutebol”, o defesa fica sem competir durante a temporada de 2018/19. Treinava com o Sacavenense, mas ao fim-de-semana deixava as chuteiras penduradas no balneário.

Um ano difícil e que teve o seu fim graças à ajuda de Luís Tralhão, treinador com quem já tinha trabalhado no Benfica e que reencontrou nos sub-23 do Cova da Piedade.

“Quando vi o mister Tralhão, liguei-lhe e fui treinar à experiência ao Cova da Piedade. Acabei por ficar e só posso agradecer ao mister por me ter dado a mão e ter acreditado em mim”, confessa.

O regresso não foi fácil, pois estava há um ano sem jogar, mas o esforço valeu a pena. Foram 28 partidas e o renascer de uma confiança que nunca havia sido perdida.

Sobe, sobe, balão sobe

Após a sua experiência em Almada, o defesa vai para o Sintrense, somando 18 partidas e o seu primeiro golo enquanto sénior. Esta temporada, aceitou o desafio do Pinhalnovense. Já conhecia o mister Ricardo Estrela da passagem no Cova da Piedade e sentiu-se “acarinhado e desejado” em Pinhal Novo.

Razões que o levaram a voltar à margem sul do Tejo para ajudar a equipa a conseguir os seus objetivos.

“O grupo é muito unido e recebeu-me bem. Pensamos jogo a jogo e sabemos que não somos favoritos à subida, mas no final fazem-se as contas. A nível individual, quero fazer o máximo de jogos e se possível sonhar com a subida à Liga 3”, assume.

Para já as coisas têm corrido bem a Tomás. Foi titular nos sete jogos oficiais da equipa e mostrou bastante segurança e assertividade nas suas exibições.

Tal como a eterna música de Manuela Bravo, a carreira de Tomás Loureiro vai subindo. Da Liga Revelação para o Campeonato de Portugal, dos sub-23 do Cova da Piedade à equipa sénior do Pinhalnovense, o central vai lutando por atingir o seu grande objetivo: “ser jogador profissional de futebol”.

“Quero ano após ano subir um patamar. Se hoje estou no Campeonato de Portugal, para o ano quero estar numa Liga 3. Após a Liga 3, chegar a uma Segunda Liga. Faço objetivos ano após ano. Esta temporada quero ajudar o Pinhalnovense, mas gostaria de chegar ao patamar seguinte no próximo ano”, explica.

Com o objetivo de ser jogador profissional e o sonho de chegar “à Primeira Liga”, Tomás vai trabalhando diariamente para manter o foco. Para além do futebol, o jovem também concilia o 2º ano da licenciatura de Desporto. Treina de manhã, estuda à noite. Uma rotina que lhe agrada, pois gosta de “estudar e de evoluir sempre mais”.

Tomás Loureiro, um jovem a seguir nos próximos anos.

Perguntas rápidas

Melhor treinador?

Luís Tralhão.
1

Clube de sonho?

Manchester United.
2

Série favorita?

Casa de Papel.
3

Comida favorita?

Lasanha.
4

O Tomás é um defesa central destro, de elevada estatura e que também pode jogar a lateral direito. Tem passada larga, competitivo e sempre muito ligado à corrente do jogo.

É muito competente no jogo aéreo, tem boa leitura e perceção dos momentos de jogo, o que lhe ser permite ser forte no desarme e antecipação.

Defensivamente é um jogador preponderante, pois, devido às características mencionadas, é bom no controlo da profundidade, tem bom sentido posicional, o que lhe permite jogar subido no terreno de jogo.

É um jogador importante no processo ofensivo, pois tem qualidade na progressão com bola, critério no passe, quer curto ou longo e intencionalidade nas suas ações. Sai com facilidade a jogar e tem boa visão de jogo.

O Tomás é um atleta em afirmação, com potencial e que num futuro próximo pode chegar a outros patamares.

NOMETomás Gonçalves dos Santos Loureiro
DATA DE NASCIMENTO22/07/1999
POSIÇÃODC/LD
PÉ DOMINANTEDireito
EQUIPACD Pinhalnovense
NACIONALIDADEPortuguesa
ALTURA189 cm
PESO 83 kg
Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.