#41 Cristiano – O polícia que tão bem defende as balizas do Leça FC

É do norte do país que vem mais uma Oportunidade e hoje damos a conhecer um guarda-redes que está a atravessar o melhor momento da sua carreira. Aos 26 anos, Cristiano Magalhães sente que está na hora de dar o salto, nunca antes de “tentar deixar o Leça FC na Terceira Divisão”.

Cristiano, que é polícia profissionalmente, divide o seu tempo entre os relvados e a esquadra, confessa que alimenta o sonho de chegar ao principal escalão do futebol nacional e de um dia representar as cores do nosso país.

O guarda-redes tem-se revelado uma autêntica muralha e a sua consistência faz com que o Leça seja a segunda melhor defesa da série C do Campeonato de Portugal, com apenas três golos sofridos. Curiosamente esses três golos foram consentidos nas últimas duas partidas, a última das quais no dia de hoje frente ao FC Pedras Rubras que os leceiros acabaram por vencer, ascendendo assim à liderança da sua série.

O segredo

Vasco Coelho na cobertura a Cristiano

Apesar da consistência e dos bons números registados nas últimas temporadas ao serviço do Leça FC, este início de temporada está a ser a confirmação do excelente trabalho que Cristiano tem vindo a desenvolver. Sem qualquer golo sofrido até ao último fim-de-semana o jovem guardião explica-nos o segredo para tal sucesso.

“Penso que a estabilidade emocional e ter uma grande equipa por detrás estão na base de tudo. E aqui aproveito para salientar os centrais, Materazzi e Vasco Coelho, que têm sido uma barreira praticamente intransponível e que me ajudam a manter o bom registo”, revela a 100 Oportunidades.

Sou um guarda-redes seguro, comunicativo, transmito confiança aos meus colegas e sou forte no posicionamento

Engane-se quem pense que Cristiano sempre foi guarda-redes. Natural de Paredes, começou a dar os primeiros pontapés na bola no clube da sua terra, como lateral direito do FC Cête. Por influência do seu irmão, que também era guarda-redes, decidiu recuar no terreno e foi no Penafiel que iniciou a formação nessa nova posição.

Hoje, aos 26 anos, define-se como um “guarda-redes forte na comunicação, seguro nas acções que desenvolvo ao longo do jogo e um posicionamento que considero que é a chave-mestra para as ‘defesas impossíveis’”.

Para além disso considerar ainda que a confiança que possui “é inevitavelmente transmitida a todos os intervenientes do jogo”.

Após seis temporadas no Penafiel e uma chamada ao Interassociações Sub14 – Torneio Lopes da Silva, despertou o interesse do Leixões SC. Seguiram-se três épocas nos ‘Bebés do Mar’ até rumar ao Freamunde, onde ajudou a equipa a garantir a subida à 1ª divisão nacional de juniores. Com 18 anos integrou também a equipa principal que atuava na antiga Liga Orangina (atual Liga Portugal SABSEG).

Foi ainda com idade de júnior que fez os primeiros minutos no nacional do futebol português. A oportunidade foi-lhe dada no Aliados FC Lordelo, na altura na III Divisão Nacional. O trabalho começava a dar frutos e, na época seguinte disputou o Campeonato Nacional de Seniores (CNS) ao serviço do Gondomar.

Um passo atrás para dar dois em frente

As coisas em Gondomar não correram como esperado e o guardião decidiu dar um passo atrás na carreira e rumar ao USC Paredes, que militava na Divisão de Elite da Associação de Futebol do Porto.

“Ao longo desta minha passagem realizei mais de 100 jogos pelo clube e, depois de três épocas, despedi-me para voltar aos campeonatos nacionais, iniciando um novo projecto na AD Sanjoanense”, salienta.

Depois da Polícia… o Leça FC!

Depois de uma época e meia na Sanjoanense, surge a Cristiano uma nova oportunidade profissional, onde iniciou a sua carreira como PSP, que o fez abandonar o futebol durante aproximadamente dois meses.

E foi aqui que apareceu o Leça, com um projeto arriscado, que passava por fugir à descida de divisão. “Atualmente os meus dias são divididos entre o campo de futebol e a esquadra. É desgastante mas prazeroso, pois o futebol é e será sempre um sonho que não quero abdicar”.

Tenho confiança que esta será a época que me lançará para os Campeonatos Profissionais

Na vida a defender os direitos dos cidadãos, no campo a defender as redes da sua baliza, Cristiano voltou aos relvados para abraçar a “maior aventura da carreira”.

“Surgiu o Leça com um projecto arriscado e delicado, onde o objectivo era fugir à descida de divisão. Nesse ano mais do que acreditar no projeto, acreditei nas pessoas, onde destaco o Mister Domingos Barros e o Mister Milic Jovanovic. Iniciei a maior aventura da minha carreira e é com orgulho que hoje sou um dos capitães deste histórico do futebol nacional”, confessa.

Com mais de 80 jogos realizados no Campeonato de Portugal, Cristiano sente que o início de época que está a realizar poderá ser o trampolim para outros voos, embora já tenha tido propostas de clubes que estão nos campeonatos profissionais.

Mantenho vivo o sonho de chegar ao escalão mais alto do futebol português e de representar a Seleção Nacional

“Já tive algumas propostas de clubes que estão nos campeonatos profissionais, contudo, não senti que seria o momento de dar esse passo, sendo que hoje já me sinto mais maduro e preparado para encarar um desafio desses”, disse.

Cristiano tem sido peça chave no sucesso do Leça

Apesar de “reconhecer que a aposta nos guarda-redes portugueses ainda é escassa”, Cristiano confia que “esta será a época que me lançará para os Campeonatos Profissionais do futebol português, permitindo assim manter vivo o sonho de chegar aos escalão mais alto do futebol nacional e de um dia poder representar as cores do nosso país”.

Como objetivos já para esta época, o guarda-redes natural de Paredes é claro: “Atingir, no mínimo, a Terceira Divisão e conseguir a época mais estável e prazerosa da minha carreira”.

Para o futuro, Cristiano ambiciona “chegar o mais rapidamente às ligas profissionais, pois tenho a consciência que estou preparado para tal, e representar a Seleção Nacional”.

Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.