“O Elevador” com Vasco Coelho

Vasco Reis Peixe Sanona Coelho.

O seu nome completo não é dos mais vulgares, mas a sua carreira enquanto futebolista fazem o defesa central ser um dos jogadores mais conhecidos e com maior valor neste Campeonato de Portugal.

Nasce em Évora, em 1994, e cedo começa a mostrar o seu valor. Real SC, SL Benfica e Casa Pia foram os clubes por onde passou durante a sua formação. Emblemas que lhe proporcionaram “todas as condições tanto a nível desportivo como pessoal”.

Entra com cinco anos no Real SC e só de lá sai aos 16 rumo ao Benfica. É na equipa da Luz que se sagra Campeão Nacional de Juvenis ao lado de nomes como Bruno Varela, João Cancelo, Fábio Cardoso, Ricardo Horta, Bernardo Silva e Rony Lopes.

Nos juniores, disputa o Campeonato Nacional pelo Casa Pia, regressando à sua primeira casa, o Real SC, para concluir a sua formação.

É nos Realistas que passa o seu primeiro ano de sénior, mas é durante um amigável frente ao GS Loures, já no seu segundo ano, que a sua carreira começa a ganhar outra cor.

Vasco realizou um bom jogo e no dia seguinte aceitou uma proposta irrecusável do GS Loures. Nessa época, o central assumiu-se no eixo defensivo da equipa e realizou 28 partidas no Campeonato de Portugal.

Números e exibições que lhe valeram o salto para o SC Braga B, contudo o central não se consegue impor pelos minhotos e acaba a época emprestado ao Casa Pia.

Em 2016/17, abraça o projeto do Farense que na altura militava no Campeonato de Portugal. Mais uma boa época e bilhete para a Segunda Liga de regresso ao “seu” Real SC.

A sua primeira experiência nos Campeonatos Profissionais de forma mais regular não corre da melhor maneira. O emblema de Massamá acaba em último lugar e é despromovido.

É aqui que surge a oportunidade para Vasco Coelho mudar de ares, viajando para Arábia Saudita. Pelo Al-Washam, o eborense faz 38 jogos e marca por três vezes numa experiência que o próprio reconhece como “extremamente enriquecedora”.

Longe de tudo e todos, Vasco amadureceu num futebol com outra cultura futebolística e foi com essa energia positiva e com outros olhos de ver as coisas que regressa a Portugal na época passada.

Pelas mãos do CD Fátima, Vasco Coelho faz nove jogos e quatro golos até janeiro, altura em que um dos candidatos à subida, o SC Olhanense, aposta nele para a fase final do Campeonato.

No Algarve, Vasco chega para ser titular e já levava seis partidas quando o Campeonato foi suspenso. O Olhanense não foi promovido e o defesa viu os “planos sofrerem algumas alterações” daquilo que era previsível.

Para a nova temporada, o central ficou bastante aliciado com o projeto do Leça FC e é nos leceiros que acredita ser possível cumprir os seus objetivos: “a nível pessoal espero realizar o maior número de jogos possíveis, estar a um nível alto e ajudar a equipa alcançar os objetivos coletivos”.

Metas plausíveis para um jogador que acredita sempre mais. O seu trabalho rotineiro “para ser melhor” a cada dia que passa, alimenta o sonho “de ter uma oportunidade num escalão superior”.

Com 26 anos de idade realizados em maio, Vasco Coelho aponta para os campeonatos profissionais e um dia chegar à 1ª Liga.

Por agora, será o Leça a sua nova casa. Emblema que aposta forte nesta nova temporada e que vai disputar a série C do Campeonato de Portugal.

Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.