“Relato Informal” com Kadú

A semana chega ao fim e como não poderia deixar de acontecer, temos mais um ‘Relato Informal’ acabadinho de sair. Kadú, atualmente no SC Espinho, é o protagonista de hoje e relata-nos um episódio que remonta aos tempos em que jogava no FC Porto.

Kadú foi formado no FC Porto, chegou a ser campeão nacional pelos azuis e brancos com apenas 17 anos e viveu no Sánchez Pizjuán (Estádio do Sevilha) um momento que dificilmente esquecerá.

O FC Porto defrontou os espanhóis do Sevilha para a Liga Europa e levava uma vantagem de apenas um golo para a segunda mão, que se iria disputar no Sánchez Pizjuán. Nessa noite tudo correu mal aos dragões, que acabaram por sair goleados por 4-1.

Aos 30’, Carlos Bacca já tinha feito o 3-0 e deitava por terra as esperanças azuis e brancas para uma nova conquista europeia. O jogo terminou, a “equipa estava triste” e Kadú que havia “ficado no banco de suplentes” foi o último a sair do relvado. Ao olhar uma última vez para o palco onde tudo tinha corrido mal aos dragões, o angolano percebeu a essência do futebol.

“Olhei para as bancadas do Sánchez Pizjuán e todos os adeptos estão abraçados de costas para o relvado. Os jogadores do Sevilha estão na roda do meio campo e em total harmonia começam a cantar o hino do clube. Foi das coisas mais marcantes da minha carreira. Percebi que o futebol era aquilo. A forma como os adeptos estavam em sintonia com a equipa. Percebi que a paixão pelo futebol estava ali espelhada. Uma imagem que vou levar para sempre e contarei aos meus filhos”.

Kadú vai para a segunda época no SC Espinho e é ali que tenta relançar uma carreira que chegou a ser bastante promissora.

Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.