Planos de treino caseiros para prevenir o Covid-19

O Campeonato de Portugal foi suspenso por data indeterminada como forma de prevenir o contágio do Covid-19. O famoso Coronavírus parou todas as modalidades desportivas no país e ameaça cancelar alguns campeonatos pela Europa fora.

À data desta publicação, Portugal soma 245 casos positivos de Covid-19. Hoje seria um domingo desportivo perfeitamente normal para milhares e milhares de adeptos, mas também dia de jogo para os jogadores do Campeonato de Portugal. Se numa primeira medida de prevenção as equipas iriam realizar os jogos à porta fechada, na passada quinta-feira, a Federação Portuguesa de Futebol acabou mesmo por suspender as provas organizadas sob a sua tutela até novas informações. Sem data para o regresso à competição, alguns jogadores fazem treinos personalizados em casa e aguardam novas instruções.

Em Lisboa, Ivo Braz do Oriental tem “um plano para cumprir em casa” enquanto aguarda “autorização da Federação para voltar aos treinos”. Situação semelhante para Rafael Pinto do Benfica e Castelo Branco. “Todas as atividades estão suspensas, viemos para casa com um plano de treinos para cumprir e aguardamos que a situação se revolva”, explicou.

No epicentro do surto
Felgueiras e Lousada foram os dois concelhos onde surgiu o primeiro surto de Covid-19 em Portugal. Em conversa com 100 Oportunidades, Miguel Pereira explicou que esta “foi uma semana de treino diferente”. A sua equipa, o FC Felgueiras, treinou em Sandinenses, perto de Guimarães, uma vez que a Câmara Municipal fechou o Estádio Dr. Machado de Matos. “Apesar das dificuldades, tentámos manter a normalidade e o foco no próximo jogo”, frisou. Embora estejam no epicentro do surto, o avançado assume que não fizeram qualquer tipo de teste ao Covid-19, sendo “apenas controlados pelo médico”. Tal como os seus colegas de profissão, o plantel do Felgueiras tem planos de treino personalizados para treinar em casa e aguarda instruções do clube.

Semana de prevenção
Os dias que antecederam a suspensão do Campeonato de Portugal ficaram marcados por várias medidas de prevenção. Em Oleiros, segundo Tiago Gomes todos “os materiais desportivos ficaram numa arrecadação isolada que passou a ser limpa meticulosamente”.

Entre reuniões com o departamento médico e uma higiene individual durante os treinos, os jogadores tomaram as devidas medidas de prevenção. “Houve uma palestra sobre o Covid-19 e um papel com informações sobre o vírus e os sintomas a ele associados. Desde a semana passada que havia um desinfetante na entrada do balneário e foi criada uma área de isolamento no estádio em caso de necessidade”, assumiu Rafael Pinto.

Em Anadia, os treinos decorreram com normalidade até quinta-feira. Leandro Vieira assume que houve algumas medidas de prevenção como “ter o nome de cada jogador nos bidons para não haver trocas” e uma conversa com “o departamento médico a informar” o que se deve fazer para prevenir. Também em Fafe a palavra “prevenção” esteve na ordem do dia com o departamento médico do clube a avisar “caso houvesse alguém que tivesse tido contacto com pessoas possivelmente infetadas” deviam alertar o clube “de forma a tomar-se as medidas mais adequadas”, garantiu o guarda-redes Pedro Freitas.

Quanto à semana que antecedeu a suspensão do campeonato, a mesma foi preparada a pensar nos jogos à porta fechada. Em Chaves, Micael Borges admite que foram “todos apanhados de surpresa”. Os jogadores pensavam que os jogos “iam ser à porta fechada” e apesar da suspensão prejudicar “os níveis físicos dos jogadores”, esta foi a melhor “solução para não colocar a saúde em risco”, frisou o avançado. Opinião também partilhada por Francisco Batista. O avançado do Esperança de Lagos crê que esta é uma situação complicada e “não se deve brincar com a saúde”, esperando que a situação “passe rápido porque todos precisamos de futebol”.

O regresso aos treinos
Se no caso de Leandro Vieira os “treinos estão suspensos” até ordem em contrário, em Bragança as indicações é de “voltar a treinar no dia 23”. Fábio Pais, lateral do clube, indica que os treinos acabaram na terça-feira, com o ambiente a ficar “um pouco tenso” quando a suspensão do campeonato se tornou oficial.

Suspensão essa que era “surreal” há uma semana atrás para Tiago Gomes. O defesa do Oleiros frisa que antes “não existia tanto alarmismo”, mas ao começarem “aparecer notícias de jogadores infetados e jogos adiados ao mais alto nível” fez com que a suspensão “já não fosse uma surpresa” para o plantel.

Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.