“O Elevador” com Miguel Carreira

Miguel José da Costa Carreira.

Nasce na Bélgica, em 1994. Com seis anos de idade, Miguel Carreira começa o seu trajeto futebolístico no SC Vila Real.

O emblema de Vila Real e a ADC Diogo Cão são os únicos clubes que Miguel conhece na sua formação.

Aos 17 anos, o seu talento e potencial valem-lhe a estreia como sénior na antiga III divisão.

Minutos preciosos do miúdo em território de graúdos que na época seguinte, com 19 anos, levanta a Taça de campeão distrital de Vila Real. O lateral direito recomeçou assim a bonita história com o SC Vila Real, efetuando épocas consistentes pelos Lobos do Marão.

Em 2016, viaja para o distrito de Viseu para representar o Moimenta da Beira. Fez 34 jogos, sendo peça importante dos “Guerreiros do Demo”, mas a despromoção virou realidade no final da época.

Na temporada seguinte, um erro administrativo impossibilitou Miguel de jogar metade do ano. Começou a temporada no Juventude Pedras Salgadas, mas “por motivos profissionais” foi para o Porto, em fins de Novembro, e ingressou no Sousense, também de Campeonato de Portugal.

No final de Janeiro, surgiu a possibilidade de voltar para o Pedras Salgadas e tudo apontava para esse regresso, mas no final de contas teve “o resto da época a treinar no clube sem poder jogar”.

Uma chapada de luva branca que lhe permitiu fazer em 2018/19, a época mais consistente da sua carreira. Foram 36 jogos, um golo e manutenção assegurada com um 10º lugar na série A.

No ano passado, e com o regresso do “seu” Vila Real ao Campeonato de Portugal, Miguel voltou também às suas origens e foi aposta consistente dos vários treinadores que no ano passado treinaram o Bila.

Com seis anos seguidos no Campeonato de Portugal, o defesa assume que este “tornou-se um campeonato cada vez mais profissionalizado e competitivo” e que há “cada vez mais jogadores a dar o salto para os campeonatos profissionais”.

O seu conhecimento, experiência e qualidade valeram-lhe para a nova temporada “o maior desafio da carreira”. Miguel Carreira é cara nova da AD Fafe, um “clube com um histórico enorme no futebol português” e que luta anualmente “pelos lugares cimeiros”.

Mostra-se pronto para a nova etapa, mas não esconde “a ambição de ser profissional”. Uma luta a que promete dar a cara de forma a um dia “jogar numa Primeira Liga”.

No elevador dos elevadores, Miguel Carreira esperou pela sua oportunidade e consumou este ano a transferência para um dos clubes que promete lutar pela subida. Hoje um degrau, amanhã uma escadaria.

Um jogador que tem pensado a sua carreira de forma gradual e que ambiciona ter outra visibilidade no futuro.

Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.