“Sangue Novo” com Matheus Índio

Hoje falamos de Matheus Salgueiro Pains, ou Matheus Índio no mundo do futebol. Nascido no Rio de Janeiro, Matheus integrou, aos 17 anos de idade, o plantel de sub-20 do São Caetano. Rodeado de jogadores mais velhos, Matheus prometeu serviço, e na época seguinte teve oportunidade de integrar o plantel sénior do “Azulão”. Nessa época, além dos 2 jogos que realizou no Campeonato Paulista Sub-20, no qual o São Caetano só alcançou a terceira fase de grupos, Matheus participou ainda em 10 jogos na equipa sénior, que só caiu no Campeonato Paulista nos quartos-de-final frente ao São Paulo. Nessa temporada, Matheus partilhou balneário com Helton Leite e Niltinho, atualmente jogadores do Benfica e do Chaves, respetivamente.

Na época de 2019, Matheus jogou um total de 21 jogos, divididos entre sub-19 (cinco), sub-20 (oito) e seniores (oito), marcando ainda dois golos. Nessa época, o São Caetano não conseguiu ir além da primeira fase do Campeonato Paulista, tendo ficado em último lugar no grupo A, no qual também estavam Red Bull Brasil, Santos e Ponte Preta. Na Série D não conseguiu progredir mais na competição, ficando no terceiro lugar do grupo 16, com apenas cinco pontos em seis jogos. Para salvar a temporada, o São Caetano conquistou a Copa Paulista, depois de vencer o XV de Piracicaba com um resultado total de 4-3.

A época de 2020 ao serviço do São Caetano estava a correr bem a Matheus, que até ao momento em que se despediu da equipa de São Paulo tinha um total de 10 jogos, nove desses a titular. Agora com 21 anos de idade, o jovem médio prepara-se para a primeira aventura no futebol europeu, abrindo-se uma porta para tal no Trofense.

O jogador garante estar ansioso para estrear no futebol português, admitindo que o maior objetivo da época é subir de divisão. Continua na habitual fase de adaptação ao novo país, à nova cultura, tendo para isso a ajuda dos novos companheiros de equipa. Chegou há pouco tempo a Portugal, mas já tem uma opinião positiva em relação ao plantel e ao clube, garantindo que todos vão lutar durante o campeonato inteiro.

Do Brasil traz experiência, depois de trabalhar com profissionais de alto nível, o que faz com que possa ajudar a equipa com o que aprendeu até agora. Viveu bons momentos no seu país, mas sentiu que agora estaria pronto para novos desafios na carreira. Reconhece o quão importante o futebol europeu é na carreira de um jogador e fará de tudo para ser reconhecido nos campeonatos que disputar. Mesmo sendo um médio defensivo com capacidade elevada de marcação, a experiência que o futebol brasileiro lhe deu, aliada à técnica e à capacidade de ajudar ofensivamente, até pela predisposição física que a idade lhe garante, são características que poderão fazer de Matheus um “Sangue Novo” de destaque na próxima temporada.

Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.