“O Elevador” com Mário Mendonça

Mário Albino Meira Mendonça.

É cara nova em Aveiro para esta temporada, mas é um velho conhecido nos relvados do Campeonato de Portugal.

Com 28 anos, Mário Mendonça vai para o quarto ano consecutivo nesta divisão, quase tantos como os que tem de Segunda Liga.

A sua caminhada começou em Esposende. Foram nove anos no clube da terra que o viu nascer e que lhe permitiram estrear-se na equipa principal com apenas 17 anos.

A tenra idade com que começou a jogar entre os mais velhos fintou-lhe os planos, ficando a cargo com “uma grave lesão” no inicio da sua carreira. Uma longa recuperação de seis meses atrasou o seu crescimento, mas a espera valeu a pena.

Em 2011/12, ainda pelo Esposende, que militava na antiga III divisão, o extremo faz uma época de excelência, com 8 golos em 27 partidas e o Desportivo de Chaves piscou-lhe o olho.

Para Mário esta foi a “melhor decisão” que tomou. Em Chaves, vence o grande título da sua carreira, ajudando inclusive com um golo na fase final diante do Académico de Viseu.

Ali encontrou um grupo “fantástico” e apesar de “não jogar tanto como estava habituado”, teve a “felicidade de fazer golos importantes na caminhada” rumo à Segunda Liga.

O sonho dos campeonatos profissionais só se concretizou em 2014, após meia época de empréstimo ao Juventude Pedras Salgadas, mas os poucos minutos concedidos, fizeram Mário Mendonça mudar de ares.

“Queria jogar mais e ser uma peça importante”, algo que encontrou em Oliveira de Azeméis. Deixou o “seu” Chaves para trás e ganha o seu espaço na UD Oliveirense.

Em duas épocas, faz 71 jogos e cinco golos. Em 2015/16, a Oliveirense acabaria por descer, mas Mário manteve-se à tona de água, seguindo para o FC Vizela.

No regresso dos vizelenses à Segunda Liga, fez 19 jogos até Janeiro, mas o azar bateu à porta. Uma “pubalgia” impediu Mário de “ajudar o clube na segunda volta de uma época agridoce”, uma vez que o Vizela foi despromovido ao Campeonato de Portugal.

Após duas descidas consecutivas e alguma “desconfiança quanto ao estado físico” do próprio, Mário ressurge no CD Fátima.

De volta ao Campeonato de Portugal, o extremo faz a “melhor época” da sua carreira, mostrando uma veia goleadora até então desconhecida, conseguindo “juntar bons números, às boas exibições”.

Foram 10 golos que ajudaram os grenás a fazer uma época tranquila a meio da tabela.

Nos últimos dois anos continuou por cá. Primeiro no Merelinense, depois no GS Loures. Para a nova etapa, ao serviço do Beira-Mar, Mário mostra-se “bastante motivado por poder representar um histórico que se está a reerguer”.

Os seus 28 anos tornaram-no num jogador “ambicioso” e que continua em busca dos seus “objetivos”.

Apesar do regresso à Segunda Liga estar em pausa há alguns anos, o jogador assume que nunca se sentiu “tão bem preparado fisicamente e psicologicamente” como agora para a exigência dos Campeonatos Profissionais.

No entanto, o SC Beira-Mar é o desafio que se segue.. e é em Aveiro que vai concentrar o seu futebol!

Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.