#85 João Paredes – Quando a felicidade é sinónimo de golos

O homem em destaque esta semana é um goleador com traços peculiares (mas já lá vamos). Representou clubes históricos do futebol português, andou pela Segunda Liga e atualmente defende as cores da União Desportiva Oliveirense SAD. Com oito golos em nove jogos esta temporada, João Paredes só tem duas coisas em mente: a subida de divisão e ser o melhor marcador nacional.  

O início… e o insólito

Natural da Figueira da Foz, João começou a jogar na Naval 1º de Maio, tendo passado também por Sporting CP, Académica e Vitória SC – clube onde terminou a sua formação. A felicidade é sempre relativa, porém, marcante é a palavra que define a experiência de leão ao peito.

A felicidade vive-se nos momentos. Em todos os clubes onde estive fui feliz. Por vezes não no campo desportivo, mas no intercâmbio das relações pessoais. Fui respeitado e respeitei. Foi aqui que eu ganhei e consolidei as bases de qual me fizeram homem adulto. Mas posso concluir que onde fui mais feliz foi no Sporting, onde estive cinco anos da minha vida”, confessa.

Quando chegou a hora de dizer adeus à camisola verde e branca, a mesma chegou de forma insólita. Na época, sendo criança, foi ainda mais complicado digerir uma despedida com estes contornos.

“A minha saída do Sporting, por incrível que pareça, deveu-se a um desencontro de idades, pois ainda era juvenil e julgaram-me júnior – resposta dada pelo coordenador naquela altura, o senhor Jean Paul”, recorda.

Provas dadas e a falta de oportunidades

Terminada a formação, João Paredes fez duas épocas de bom nível no Anadia, com 13 golos em 20 jogos na segunda temporada pelos “Trevos da Bairrada”, que lhe valeram a mudança para Vizela. Nos vizelenses continuou a somar, com mais um registo interessante de 16 golos em 27 partidas, em 2017/18.

Na temporada seguinte transferiu-se para o GD Chaves, mas a experiência não correu como esperado, representando sobretudo a equipa satélite dos flavienses.

“Quando transitei para o Chaves não foi para a equipa satélite. Para isso não teria aceite esse projeto, pois tinha outras opções tão válidas como a do Chaves. Mas como profissional estava ao serviço do clube e dei o melhor.”

Pelo meio, um empréstimo ao Mafra que já estava na Segunda Liga:

“Quando lá cheguei, o treinador que apostou em mim (Filipe Martins) saiu passado duas semanas. Apesar de ter jogado, não fui feliz à atingir os meus próprios objetivos que era marcar golos, não esquecendo um pormenor. Nessa época desportiva, começando em Vizela até chegar a Mafra, conheci sete (!) treinadores com ideias diferentes que condicionou o meu rendimento”, lamenta.

Mais recentemente, em 2019/20, algo fora do comum continuava a acontecer para os lados de Trás-os-Montes.

“No meu último ano de Chaves, com a vinda do mister Carlos Pinto, quando eu me preparava para que fosse a minha época, tudo se complicou para a minha afirmação. Algo de estranho se passou, pois treinava com grande dedicação e profissionalismo, mas estava condicionado a ser convocado. O Chaves chegou a deslocar-se para jogos oficiais com jogadores a menos na ficha de jogo e ter me deixado de fora, estando apto para a competição.”

E conclui:

“Não posso deixar passar que a SAD ou a estrutura do Chaves não me deixaram sair para clubes interessados, nomeadamente da Segunda Liga”.

O regresso ao Campeonato de Portugal e um renascer na Liga 3

Para João Paredes, 2020/21 foi uma temporada em que representou dois clubes, com desfechos diferentes. Apesar de se ter sentido importante em ambos os conjuntos, uma equipa alcançou o objetivo, já na outra, não se pode dizer o mesmo.

“Antes de chegar a Leiria estive no Trofense, onde acabei por contribuir na subida de divisão. No Leiria, o clube falhou na sua reta final, falhámos todos.”

Já na presente temporada voltou a rumar a norte, para ser figura preponderante na UD Oliveirense SAD. A equipa de Oliveira de Azeméis foi recentemente despromovida à Liga 3, mas o foco está em regressar de pronto à Segunda Liga – sendo um objetivo assumido por todos.

“A estabilidade que fui encontrar em Oliveira de Azeméis e a aposta em mim, fazem com que tenhamos o mesmo objetivo que é a subida da Oliveirense. E o meu reencontro com a alegria de jogar, fazendo golos, que foi para isso que o clube me contratou e que eu faço questão que assim seja”, frisa.

Por agora, as coisas vão correndo de feição. Paredes reencontrou a felicidade de jogar futebol, sempre associada ao seu pequeno-almoço favorito: os golos. O ponta de lança de 25 anos leva oito golos em nove jogos, e é um dos melhores marcadores de todas as competições a nível nacional. Apenas Paulinho, do Estrela da Amadora, com nove golos (em 13 jogos, diga-se), marca mais que João Paredes em Portugal.

Perguntas rápidas

Defesa mais chato?

Bruno Viana (ex-SC Braga).
1

Equipa mais difícil?

Estrela da Amadora.
2

Ídolo na posição?

O meu pai (antigo ponta de lança).
3

Clube de sonho?

Bayern de Munique.
4

O João é um avançado possante, de estatura física alta e com passada larga. É um ponta de lança com uma entrega enorme ao jogo e dentro da área é um finalizador nato.

É um jogador intenso em todos os momentos do jogo, forte nos duelos com o adversário e imponente no jogo aéreo.

Tecnicamente é um jogador com recursos, boa leitura dos espaços e visão de jogo. Joga de cabeça levantada e sai com facilidade da marcação do adversário, procurando sempre a melhor posição para receber e finalizar sem oposição. É um jogador que pontualmente arrisca no 1×1.

A nível tático é um atleta muito inteligente, agressivo na pressão ao homem da bola e que não facilita quando tem espaço para o remate. É ativo na procura de espaços para oferecer linha de passe aos colegas, saindo em muitas situações da posição, para jogar em apoio e arrastando a marcação dos adversários. Define bem no último terço e pontualmente procura bola na profundidade.

O João é um atleta que certamente voltaremos a ver em breve nos campeonatos profissionais.

NOMEJoão Diogo Marques Paredes
DATA DE NASCIMENTO01/01/1996
POSIÇÃOPL
PÉ DOMINANTEDireito
EQUIPAUD Oliveirense
NACIONALIDADEPortuguesa
ALTURA189 cm
PESO 83 kg

Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.