“Relato Informal” com João Nabor

“Tenho uma situação engraçada passada no Funchal. Estava na altura no Atlético de Reguengos, num ano em que calhamos com quatro ou cinco equipas da Madeira.

Não sei precisar qual o adversário mas sei que no dia do jogo, depois de almoço fizemos o check-out do hotel e metemos-nos a caminho do campo.

Nas viagens não costumo ir muito lá atrás no autocarro, gosto de ir mais à frente, tranquilo, enquanto a maioria gosta de ir lá atrás no pagode.

Vamos já a meio da viagem para o campo e toca o meu telemóvel… E quem era? Paulo Maurício, que nesse ano estava comigo no Atlético.

E eu a pensar “este gajo vai ali atrás e está a ligar-me para quê, deve querer gozo…” ainda lhe rejeitei a chamada uma ou duas vezes mas depois resolvi atender: diz ele: “então onde estão?”, com uma voz demasiado séria para ser brincadeira.

Escusado será dizer que ficou esquecido no hotel e, consequentemente tivemos de andar às voltas para o ir buscar. Obviamente que levou gozo o resto do fim de semana”

João Nabor em exclusivo para a rubrica “Relato Informal”, conta-nos um episódio que aconteceu, na época de 2010/11, ao serviço do Atlético de Reguengos.

Com 38 anos, o capitão do Aljustrelense vai para a oitava temporada a defender as cores do clube alentejano.

Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.