“É bom e recomenda-se” com Rúben Freitas

Uma formação de excelência pelas academias do Sporting e do Braga, uma passagem pelo Campeonato de Portugal, uma experiência no estrangeiro, vários cruzamentos na Segunda Divisão e agora uma estreia na Primeira Liga.

Assim falamos de Rúben Freitas, o defesa direito que irá representar o emblema do Nacional da Madeira na próxima época.

Pelo Sporting teve a oportunidade de ser Campeão Nacional de Juniores em 2007/08, ao lado de jogadores que hoje se encontram também na Primeira Divisão ou em ligas estrangeiras, “foi uma sensação única, crescemos a maioria todos juntos, desde as escolinhas, tínhamos uma equipa com bastante qualidade”, conta o craque.

Na sua formação passa também pelo Braga e ascende em 2013/2014 para o Campeonato de Portugal pelo Salgueiros.

Os dois anos seguintes são passados no estrangeiro, Chipre e Gibraltar, onde o atleta encontrou algumas diferenças em relação ao futebol luso, “a nível de futebol jogado e mesmo a nível de estrutura, em Portugal existe muita qualidade e às vezes só quando vais para fora é que te apercebes disso”.

De regresso a Portugal em 2016/17, Ruben volta a pisar os relvados do Campeonato de Portugal pelo emblema do Vilafranquense, dois anos depois dá o salto para a Segunda Liga, onde veste as cores do Mafra, “cheguei ao Vilafranquense com vontade de mostrar que podia estar noutros patamares”.

Duas épocas de excelência depois, o atleta natural de Odivelas chega agora assim aos relvados da Primeira Liga, “quero jogar o maior número de jogos possíveis e com isso mostrar o porquê de ter chegado à 1ª Liga, ter uma aprendizagem e uma evolução constante”.

Ruben é um exemplo que com persistência, esforço e dedicação é possível chegar a um patamar mais profissional, mesmo que seja mais tarde, “cheguei ao CNS numa altura em que ninguém me queria, porque tinha vindo do Gibraltar, um país que poucos ouviram falar e se ouviram não foi pelo futebol”.

Contra todas as dúvidas, o atleta foi à conquista e mostrou da fibra que era feito.Com a ajuda da equipa do Vilafranquense, Ruben conseguiu mostrar a sua garra, “se o clube te dá a mão e te ajuda, a partir daí não tens nada a temer, só mostrar o teu futebol e o quanto queres ser jogador profissional”.

Acreditar é a palavra de força que o defesa do Nacional deixa aos jogadores do Campeonato de Seniores, “quando ninguém acreditar em ti tens de ser o primeiro a fazê-lo, acreditar e nunca duvidar das tuas capacidades”.

Ruben Freitas já teve um vislumbre do que o futebol nacional e internacional são feitos, e aos 27 anos não pretende abrandar ambicionando outros voos, lutou e conquistou e é fibra de Campeonato de Portugal que não se deixa intimidar.

Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.