“Sangue Novo” com Cajó

A 2 de julho de 2001, em Valongo, distrito do Porto, nascia Carlos Machado, Cajó para o mundo da bola. Começou a jogar futebol muito cedo, com cinco anos de idade, no clube da terra, o Valonguense.

Em dois anos no clube, Cajó começou a construir um caminho no futebol que ainda hoje está para dar os frutos que procura. Teve uma formação que lhe deu a conhecer e aprender diferentes ideias de jogo graças aos diferentes grupos de trabalho dos quais fez parte.

Aos 10 anos de idade, no Folgosa da Maia, Cajó conseguiu um 2º lugar no campeonato de benjamins do distrito do Porto. O futebol que jogava no Folgosa serviu para mostrar a sua qualidade, tendo, ao fim de dois anos no clube, a oportunidade de jogar nos infantis do Paços de Ferreira.

Um clube com novos objetivos que garantiram a Cajó uma base de aprendizagem para aquilo que viria a ser o seu futuro. Cajó conseguiu logo no primeiro ano ser campeão da 1ª Divisão de Infantis do distrito do Porto. O segundo ano no Paços de Ferreira foi diferente, tendo integrado a equipa de iniciados que não foi além de um 11º lugar no Campeonato Distrital do Porto.

Três anos se passam em Paços e Cajó decide regressar ao Folgosa da Maia, o ideal para voltar a mostrar qualidade com mais tempo de jogo. Cajó procurou oportunidades e ajudou a equipa a chegar ao terceiro lugar do Campeonato de Iniciados do distrito do Porto.

Com 15 anos de idade, integrou o plantel de juvenis do Folgosa, sendo o mais novo do plantel. Tentou acompanhar o ritmo dos mais velhos, mas a equipa acabou por não ir além de um 11º lugar, salvando-se por poucos pontos da descida de divisão.

Na época seguinte, Cajó voltava a dar um salto, desta vez para os juniores B do Boavista. No primeiro ano ao serviço dos axadrezados, Cajó participou em 19 jogos e marcou três golos.

Na segunda época no Boavista, com 17 anos, Cajó conquistou um terceiro lugar na 1ª Divisão de Juniores do Porto, depois de disputar 23 jogos e marcar cinco golos.

Na temporada que findou em Março, Cajó entrou no Lusitânia de Lourosa, clube que tem feito uma aposta constante em jovens jogadores.

A época não correu da melhor forma, tendo os leões de Lourosa terminado a fase regular da 2ª Divisão de Juniores do Porto em sexto lugar, o que obrigou à participação na fase de manutenção, na qual a equipa de Cajó terminou em quarto lugar, suficiente para assegurar a manutenção.

Com 22 jogos e nove golos, o jovem jogador, agora com 19 anos, chamou a atenção do treinador Rui Quinta, conseguindo garantir um lugar na equipa principal do Lourosa na próxima época.

Cajó tem para oferecer um estilo de jogo que se foi adaptando aos diferentes clubes por onde passou, uma das grandes ajudas para desenvolver a sua versatilidade, com capacidade de decisão no último terço e abuso do “1 para 1”.

Na nova época vai procurar agarrar as oportunidades que lhe forem dadas e mostrar o seu valor. A nível coletivo, espera conseguir alcançar o feito histórico de subir à Segunda Liga, que tem escapado nas últimas épocas.

Partilha com os teus amigos:

Outros artigos do autor

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.